terça-feira, 14 de setembro de 2010

A sorte é um acaso, a felicidade uma vocação. (Alexandru Vlahuta)


“Dizem que a verdade não importa, e sim o que cada um quer ver. Algumas pessoas precisam dar um passo atás para descobrirem tudo a sua volta, outras precisam ver que suas mentiras podem trí-las!
Agumas, precisam enxergar que tinham tudo o tempo todo, e finalmente há aquelas pessoas que precisam fugir de tudo para não olhar a si mesmas. E quanto a mim, vejo tudo mais claro agora”

Boneca de Pano
Talves eu seja uma boneca de pano, cujo o coração foi roubado. E um rombo gigantesco foi deixado em meu peito. De repente, veio uma dor forte e se instalou em mim. E ficou, em cada metro de meu corpo rendado, com meus panos e babados. Os meus vestidos passaram a ser mais escuros, independente do cair da noite ou do levantar do dia. Eles só eram porpícios se mais próximos do negro que me abrangia. Chegou uma hora em que não os quis mais trocar, não fazia diferença.
Todo dia eu acordava e botava minha mão sobre meu peito, apertava-o, e não sentia nada.. Até que, em uma noite pouco escura e menos sombria, eu vi um clarão no canto de minha cama. Cheguei minhas mãos até ele, e encontrei, ali, meu coração. Abri meu armário, peguei minha caixa de costura e retirei a atadura de papel que cobria meu peito de pano. Coloquei meu coração de volta e o costurei, cuidadosamente, Talvez eu realmente seja essa boneca de pano com o coração resgatado. Porque, sim, ele voltou para mim, sim meus vestidos e panos cobrem, eu o abrigo. Mas não o sinto assim. Ele voltou intacto e este foi o problema. O coração da triste boneca de pano não fora amado como amara, não fora desejado como desejara, e não teve o que quis.
O coração da boneca não era nada além de um pedaço fofo de pano, em formato reconhecível. Ele não fora modificado, e pior, não fora roubado.
A bonequinha queria que alguém a amasse como ele a amaria e, para isso, teria de ter consigo uma parte de seu coração. Mas, vendo-o voltar intacto, percebeu que sua missão fora incompleta, sem sucesso. Talvez eu ralmente seja essa boneca de pano, cujo coração roubado não fora amado, cujas pessoas em volta não se misturam, cujo caminho é um ponto de interrogação.
E principalmente, cuja procura será guiada até que encontre aquele pedacinho mínimo de seu coração, que ainda não percebeu sumir, mas que fora roubado, discretamente, para ser modificado, tocado e amado.
Hoje parei pra pensar e cheguei a seguinte conclusão, que nós humanos damos mais importância para os bens matériais. É estranho pois nós deveriamos nos preocupar com a pessoas ao nosso redor. Nada é para sempre e tudo um dia acaba.
vc dizer isso mais acontece e as vezes tarde de mais e ai o arrempendimento
vem e vc quer voltar no tempo para poder dizer...
As vezes não médimos as palavras e acabamos magoando as pessoas, mesmo
que seja a verdade poque a verdade doi na maioria das vezes por isso contamos
"Mentiras do bem" como dizem, para que as pessoas possam viver melhor.
Amores não correspondidos que para toda vida nos fazem sofrer " as vezes quando se AMA de verdade".
Quando estamos AMANDO de verdade, perdoamos os defeitos das pessoas e até perdemos a vergonha de fazer algumas coisas. Ficamos colando frases româmticas nos sites de relacionamentos, e gritando pra quem quer ouvir que estamos apaixonados..rsrs
É o AMOR...
As vezes precisamos saber a hora de parar algo, por que se ficarmos adiando isso
pode nos prejudicar em algum momento e acabamos sofrendo...
Bomm....acho que o AMOR nos torna pessoas melhores e o AMOR pode mudar 
vidas. Precisamos viver como se não o Amanhã não fosse existir, por que no final
quando mais nada existir os seus atos bons valeram a pena.
Por isso seja uma pessoa melhor as pessoas vão te agradecer.

By: Alyne

Nenhum comentário:

Postar um comentário